x

Newsletter

Receba o conteúdo mensal :D

  • Mídias:
Carol Dweck

Mindset

  • Recursos:

Mindset - Carol Dweck

Em “Mindset” Carol Dweck discute sobre o poder que as crenças e visões de mundo têm sobre a vida pessoal e profissional. A forma como enxergamos nossas capacidades têm influência direta em nossos resultados e esse estilo de pensar vai nos dar motivos para continuar ou desistir.

O mindset é nosso conjunto de crenças, são ideias que temos sobre sucesso, dinheiro, felicidade, etc. É a partir do mindset que encaramos as diversas situações do dia a dia, e é através dele que tomamos decisões. A definição de mindset seria algo próximo de “configuração mental” – como está organizado nosso mundo e como devemos deliberar. No desenvolvimento do livro, a autora desdobra o conceito de mindset em duas ideias: mindset fixo e mindset de crescimento.

Todos nós somos uma mistura de ambos os mindsets e em cada situação eles vão deflagrar comportamentos diferentes. Diante de um problema podemos desistir ou perseverar, sorrir ou chorar, entender os limites ou maldizer a vida. O mindset fixo crê que as coisas são como são e isso faz da vida algo permanente. Sou inteligente ou sou burro, sou bom de matemática ou não, desenho bem ou sem chance, etc. Os problemas do mindset fixo é que existe pouquíssimo espaço para o aprendizado e para a falha. Isso cria um ambiente hostil que exalta talentos “prontos” e marginaliza iniciantes. O mindset fixo é tão vaidoso que muitos jovens que estudam ou leem por horas afirmam para os outros que nem estudaram, resolvem os problemas com facilidade e escondem o custo real de seus resultados. É um tipo de vaidade que exalta o talento nato e cria uma visão limitada do desenvolvimento pessoal.

Do outro lado está o mindset de crescimento, que não é perfeito, mas encara os problemas e limitações como uma oportunidade para avançar. Se não sou bom em história é porque não estudei o suficiente, sendo assim devo ler mais livros e ver mais documentários para me desenvolver. O mindset de crescimento não encara esse problema como um limite inerente àquela pessoa; ela não nasceu definida a ser ou não boa. Ela deve fazer por merecer, criar estratégias e trabalhar duro.

É muito importante entender que o mindset não é algo permanente e todos nós variamos entre o mindset fixo e mindset de crescimento por toda nossa vida. Ninguém só vê o mundo como uma oportunidade constante de aprendizado, como também ninguém é absolutamente travado e fatalista. Essa visão é importante pois no dia a dia, muitos momentos vão nos levar para cima ou para baixo, e em muitos casos vamos nos sentir mal e limitados. Por isso é necessário desenvolver a autopercepção, é preciso notar nosso humor e nossa tendências. Com essa percepção seremos capazes de levar nossos esforços para o longo prazo e com isso os momentos de desânimo não vão definir toda nossa jornada. Muitas vezes vamos acertar e tantas outras errar, é o conjunto de ações de crescimento que no longo prazo vai nos garantir progresso.

No livro a autora traz muitas estratégias para desenvolver o mindset de crescimento e apresenta também vastas histórias sobre grandes personalidades, como enfrentaram os desafios, como venceram em momentos difíceis e como passaram pelas fases de baixo rendimento e desânimo. Nesse conjunto de estudos de caso, histórias e pesquisas, o livro corre fluído e de leitura fácil.

Top 5 Aprendizados

  1. Ninguém é só mindset de crescimento ou só mindset fixo.
    Ninguém está condenado a pensar e encarar a vida de um único jeito. Dependendo da situação podemos ser positivos ou negativos. Há sempre volatilidade em nossos estilos de mindset.
  2. Mudar é possível. Exige esforço, paciência e tempo, às vezes muito tempo.
    É possível mudar e alcançar grandes resultados, mas isso exige um grande mergulho em nós mesmos. É preciso se lançar ao desafio, se esforçar e acima de tudo, ser paciente. Processos que envolvem mudança de hábitos ou crenças levam muito tempo.
  3. Ninguém nasce pronto; é possível crescer muito através do esforço.
    Não nascemos fadados ao sucesso ou fracasso. Todos nós temos áreas que nos é mais fácil que vai de encontro com algumas aptidões naturais, contudo, é possível através do trabalho duro crescer e prosperar.
  4. Autopercepção é um fator decisivo no longo prazo.
    Mais do que qualquer coisa, é a autopercepção que vai garantir o progresso. Só somos capazes de mudar através do que percebemos. Se não somos capazes de entender nosso bom ou mau humor, nossa vontade de ir além ou de fugir e etc, não vamos conseguir ajustar o necessário para crescer.
  5. É importante entender nossas limitações e saber comemorar as pequenas vitórias.
    Às vezes criamos metas absurdas e chegamos ao final do ano e não atingimos metade delas. Mas se notar, atingiu neste ano, mais do que no ano passado, e isso te levou ao crescimento. É preciso aprender a viver o dia e comemorar as pequenas vitórias. Do contrário podemos virar reclamões e eventualmente desistentes.

podcast

Mindset
Carol Dweck
Lucas Conchetto - 2021